Make your own free website on Tripod.com

Geografia
Home Oceania América África Ásia Europa Antártida

 

 

 

 

Geografia


Paisagem africana
 


Geografia é uma ciência que tem por objeto o espaço; não o espaço cartesiano, mas o espaço criado através das relações entre o homem e o meio, envolvendo os aspectos dialéticos e fenomenológicos.

Há muitas interpretações do que seria o objeto geográfico. Tanto as que consideram o espaço como um "teatro" da ação humana quanto os que o consideram como um produto da interacção homem - natureza. Se há um consenso na Geografia é que não existe consenso quanto à definição de seu objeto.

Há tantas visões quantos forem os geógrafos, algumas com maior orientação para a Geografia Física, outras para Geografia Humana. Cada uma dessas orientações é uma visão do mundo, e cada Geografia particular privilegia este ou aquele aspecto. Evidentemente, há temas mais ou menos abrangentes, passíveis de ser interpretados pelas mais variadas ópticas.

Uma definição simples, mas abrangente, poderia ser: Geografia é o estudo da superfície terrestre e a distribuição espacial e as relações recíprocas dos fenômenos físicos, biológicos e sociais que nela se manifestam.

A Geografia estuda aspectos físicos e humanos da Terra. As inter-relações espaciais são chaves para esta ciência, e ela utiliza mapas como ferramentas-chave. A cartografia clássica se juntou com a abordagem mais moderna de análise geográfica, baseada em sistemas de informações geográficas computadorizadas (GIS).

Os geógrafos usam quatro métodos interrelacionados:

Sistemáticos - Grupos conhecimento geográfico dentro de categorias que podem ser exploradas globalmente.
Regionais - Examina relações sistemáticas entre categorias para uma região específica ou local do planeta.
Descritivos - Simples especificações de características de locais e populações.
Analíticos - Pergunta porque nós encontramos essas características e populações numa área geográfica específica.
 

A cartografia estuda a representação da superfície de Terra com símbolos abstractos. Pode-se, sem muita controvérsia, dizer que a cartografia é a semente da qual nasce, um campo Maior, a Geografia. Muitos geógrafos sentem um fascínio de infância com mapas um sinal prematuro daquilo que irão encontrar no terreno. Ainda que outras subcategorias da geografia confiem nos mapas para nos mostrar a sua análise, o actual fabrico de mapas é suficientemente abstracto para ser visto separadamente.

A cartografia cresceu duma colecção de projectos e técnicas até à ciência actual. Os cartógrafos devem aprender psicologia cognitiva e ergonómica para compreender quais os símbolos conduzem a uma informação sobre a Terra mais eficaz, e psicologia do comportamento para induzir os leitores dos seus mapas a actuar de acordo com a informação. Eles devem aprender correctamente geodesia e matemáticas avançadas para perceber como a forma da Terra distorce um mapa que está projectado numa superfície plana.

Os Sistemas de Informação Geográfica (SIG) processam a informação sobre a Terra num computador, de um modo preciso e apropriado ao propósito de informar. Por esse fato, em todas as subcategorias da geografia, os especialistas de SIG devem dominar o computador e sistemas de base de dados. O SIG revolucionou o campo da cartografia de tal forma que para se fazer um mapa hoje em dia recorre-se sempre a algum tipo de software de SIG.

Métodos quantitativos geográficos agem com métodos numéricos peculiares para (ou pelo menos é muito comum) a geografia. Por consequência à análise do espaço, provavelmente encontrará coisas como a análise de rácios, análise discriminatória, e não – paramétrica e testes estatísticos nos estudos geográficos.

 

 

 

 

 

Equipe : 

Bárbara Braz nº 07              Clara Otoni nº 13               Larisse Pinto nº27                                   Raquel Colares nº 39                Vanessa Maia nº 43